01/08/2016

Pokémon GO! e o frenesi da realidade aumentada

A gente já tinha cantado a bola aqui no blog da OZ sobre como a realidade aumentada é a grande promessa para o marketing audiovisual atualmente. Em pouquíssimas semanas, acompanhamos a febre do game Pokémon GO!, que parece ter enfeitiçado as pessoas por todo o mundo - menos no Brasil, pois o jogo ainda é promessa por aqui. 

 

O aplicativo usa da tecnologia em realidade aumentada para criar elementos virtuais em nossa realidade, tudo isso usando o GPS dos smartphones. Rodando pela cidade (menos as do Brasil), você encontra e captura diversos Pokémons através da tela do seu celular. Parece incrível, né? E é! 

Pokémon GO! em números 

 

É possível baixar e jogar o Pokémon GO! gratuitamente. Mas, como todo jogo, ele oferece a possibilidade de avançar mais por meio de micro-transações. Com menos de uma semana de lançamento, essa funcionalidade do game já gerou uma receita de 14,4 milhões de dólares, segundo a SuperData Research, uma empresa especializada em dados sobre o mercado de jogos mundial. 

 

Quem mais tem ganhado com esse boom do Pokémon GO! é a japonesa Nintendo. O valor da empresa aumentou 9 bilhões de dólares desde o lançamento do jogo. O preço da ação da fabricante de games já cresceu 25% na Bolsa de Tóquio. 

 

A empresa de análise de vendas de aplicativos SensortTower calcula que o Pokémon GO! já foi baixado por 7,5 milhões de jogadores nos Estados Unidos e gera 1,6 milhão de dólares por dia apenas na loja da Apple, colocando o app no topo do ranking de receitas na App Store e na Play Store. 

 

Será que roda no meu celular? 

 

O Pokémon GO! ainda não chegou no Brasil, mas já dá pra ter uma ideia de como ele vai funcionar por aqui.  

 

Dados

 

O consumo médio de dados consumidos em cada busca pelos pokémons foi calculado por analistas da empresa P3, nos EUA. Uma sessão média dura três minutos e consome 300 kilobytes de dados - bem menos que o consumo médio do GPS.

 

- Não é muito, mas isso significa que alguém, por exemplo, com um plano de internet de 250mb que liga a câmera para buscar pokémons seis vezes por dia vai esgotar quase 25% do seu limite de dados apenas no jogo em um mês.

Dica: aproveite os locais que disponibilizam a rede de wi-fi. 

 

Bateria

O uso de dados pode não ser tão grande, mas a bateria é outro papo. O game descarrega o aparelho 50% mais rápido que apps como YouTube ou Facebook. Aqui a dica é: carregue bem a bateria antes de sair por aí caçando pokémons. A média é perder 30% de bateria por hora de jogo. 

 

Agora é esperar a chegada do fenômeno mundial em terras brasileiras. E boa caça para todos!



Galeria de Imagens

 Mais publicações