19/06/2015

Audiodescrição: você sabe o que é?

Você já tentou assistir a um programa de televisão de olhos fechados? Não? Bem, é uma experiência interessante!

Nós não percebemos, mas o cenário, a atuação dos personagens, o figurino… a imagem como um todo nos passa muita informação. E quando a visão falha, ou desaparece? Será que a nossa percepção daquele produto audiovisual é a mesma?

E é por isso que existe a audiodescrição. Ela serve para enriquecer a experiência de quem tem necessidades especiais ao assistir programas de TV, animações, filmes, séries etc. Ela permite que o usuário com baixa visão ou cegueira, possa desfrutar a obra de uma maneira mais próxima da que uma pessoa sem problemas de visão aproveita.

E como ela funciona?

A audiodescrição deve seguir rigorosas normas internacionais. Além disso, não pode atrapalhar a experiência de assistir o produto audiovisual: ela deve sempre ajudar. Então nunca sobrepõe falas ou se impõe no áudio.

Ela descreve o ambiente, as expressões faciais, possíveis gestos relevantes para a história, figurinos, créditos e basicamente tudo o que auxilia na compreensão do que está sendo assistido.

Como monta a audiodescrição?

Depende do produto a ser narrado. Se for um filme ou produto audiovisual já gravado, o trabalho envolve um cuidadoso estudo para formular o roteiro do que será descrito, com as inserções de fala já com timecode, para auxiliar na hora de fazer a faixa adicional no produto. É o caso de filmes, séries e gravações em geral.

Se for a descrição de algo ao vivo como uma peça, o trabalho de roteirização é o mesmo, mas a interpretação será ao vivo, não será gravada. E, por fim, se for algo ao vivo revelado ali na hora, o trabalho é feito por alguém treinado e experiente, pois é tudo no improviso!

Ficou curioso?

Aqui temos um exemplo: tente fechar os olhos e apenas imaginar a história, e nos conte como foi a experiência!



  • Tags

 Mais publicações