06/03/2015

15 filmes para celebrar o Dia da Mulher

No próximo dia 8 comemoramos o Dia Internacional da Mulher, por isso separamos alguns filmes que se destacam por suas histórias de mulheres fortes, verdadeiras protagonistas de suas histórias. Tentamos manter a lista curta, mas foi bem difícil (tão difícil que tivemos que citar mais algumas ao final da lista)!

As Horas

   


 As Horas, de 2002, é baseado num romance de mesmo nome de Michael Dunningham. A história narra um dia na vida de três mulheres. Virginia Woolf, vivendo em 1923, escrevendo Ms. Dalloway e lutando contra sintomas de loucura, Laura Brown em 1951, uma dona de casa que está lendo Ms. Dalloway e planejando uma festa de aniversário para seu marido, e nos dias atuais Clarissa Vaugh, uma editora que dá uma festa para seu ex-amante que agora está morrendo de AIDS. O filme mostra as emoções, os dilemas, as dificuldades que afetam estas três mulheres à medida que as horas passam.

Thelma e Louise

Thelma e Louise é um clássico. Louise é uma garçonete quarentona e Thelma é uma dona-de-casa entediada. Um dia elas resolvem largar tudo e ir para o México, mas no caminho elas se envolvem em um crime e precisam fugir. O espectador se vê envolvido com as personagens e a luta delas para resolver a situação e evitar a prisão.

 

 Histórias Cruzadas

  

A história se passa em Jackson, uma pequena cidade no Mississipi, na década de 60, em meio à luta por direitos civis e igualdade racial. Nesta cidade várias mulheres negras foram trabalhar para famílias brancas mais abastadas, e em uma dessas famílias há Skeeter, uma menina decidida a se tornar escritora. Ela começa, então, a entrevistar as empregadas da cidade, o que não é algo bem visto na cidade. O filme foi indicado a vários prêmios, com Octavia Spencer levando a estatueta do Oscar por sua atuação como coadjuvante. 

Kill Bill  

O filme conta a história da Noiva (que depois descobrimos se chamar… não daremos spoiler!). Ela sofre uma tentativa de assassinato no dia do ensaio do seu casamento, e jura vingança. É difícil vermos no cinema uma mulher sendo retratada como uma mulher com tanta força, a ponto de passar por tudo aquilo e ainda sair vitoriosa. Pontos para o Tarantino!

Persépolis

Persépolis é um filme francês de 2004. Conta a história de Marjane Satrapi, uma iraniana que passa pela Revolução, sente na pele os problemas de ser mulher no Irã e aos 22 anos vai estudar na França, se tornando uma expatriada. É uma animação extremamente sensível, e foi indicada ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Fale com Ela


 
Este é do Almodóvar, que tem vários filmes com mulheres protagonistas. Este se passa em Madri. Benigno, um enfermeiro, é fascinado por uma estudante de balé, Alicia, que estuda na academia na frente do apartamento dele. Um dia ela sofre um acidente e entra em coma. Internada no hospital em que ele trabalha, ela é cuidada com especial atenção. No hospital Benigno conhece também Marco, um jornalista que está sempre visitando sua namorada toureira. Almodóvar toca em temas delicados como estupro e coma sem perder nunca a mão.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

 Amélie é uma jovem sonhadora que mora em Paris e se refugia num mundo de fantasia que criou para si durante a sua infância. Um dia ela encontra em seu apartamento uma latinha, uma cápsula do tempo, e decide que se ela conseguir achar o dono daquela lata e ele gostar de sua boa ação, ela se dedicará a melhorar a vida de todos ao seu redor. Só que nem tudo acontece como ela previa. Este filme, apesar de ser de baixo orçamento, é uma obra-prima do cinema francês. E a trilha sonora é maravilhosa. Vale a pena. 

Tomates Verdes Fritos

Tomates Verdes Fritos é uma obra de poesia cinematográfica. Evelyn é uma dona de casa que afoga suas mágoas com doces. Seu marido mal a nota, e toda semana eles vão visitar uma tia na casa de repouso, que sempre impede que Evelyn entre. Numa dessas visitas ela conhece Ninny Threadgoode, que passa a contar as histórias de sua juventude, sempre centradas em Idgie. Vários acontecimentos se desenrolam, e vemos racismo, morte, violência, e a força das mulheres protagonistas ao lidar com tudo isso, e como isso afeta a vida de Evelyn.

Preciosa



 Uma adolescente de 16 anos é violentada pelo pai e abusada psicologicamente pela mãe. Tem com o pai uma filha apelidada de Mongo, portadora de síndrome de Down. Quando engravida pela segunda vez, é suspensa da escola. A diretoria sugere que ela vá a uma outra escola, e lá ela começa a se refugiar de toda a dor que a envolve por ser negra, pobre, e gorda. Também foi indicado a diversos prêmios, e ganhou o Oscar de melhor roteiro adaptado e melhor atriz coadjuvante. 

Central do Brasil

Dora trabalha na estação escrevendo cartas para as pessoas analfabetas. Um dia Ana quer mandar uma carta para o pai do seu filho expressando o desejo do menino de vê-lo. Só que, ao sair, da estação, ela é atropelada e morre. O menino não vê outra saída a não ser morar na estação, então Dora o adota e tenta levá-lo para o seu pai, adentrando o interior nordestino. Uma obra prima do cinema nacional.

Frozen

Let it gooo, let it goooo! Se você ainda não assistiu Frozen, assista! É uma animação contagiante. Temos Elsa, que possui poderes mágicos, e sua irmã Anna. Um dia elas se tornam órfãs e Elsa, que passou a juventude isolada, agora tem que se controlar para se tornar rainha. Esse filme não fez tanto sucesso à toa. Tem amizade, amor, músicas ótimas e o principal: protagonistas poderosas, que não precisam de homem nenhum para resolverem os seus problemas.

Brave

Brave é outra animação com uma princesa poderosa. Merida é uma princesa escocesa que precisa se casar. Só que ela não quer. Para completar, histórias e lendas percorrem o reino, falando de um urso gigante que ataca a todos sem dó nem piedade que um dia foi um príncipe rebelde em busca de poder. Nem preciso dizer que vai dar problema a rebeldia dela junto com a magia que habita o reino, não? O filme é maravilhoso, e vale a pena assistir no idioma original, só pelo delicioso sotaque escocês dos personagens.

Mulan

Outra animação que se você não assistiu, assista! Esta foi baseada num poema chinês sobre uma menina que vai para o exército disfarçada de homem para salvar seu pai e acaba salvando a China. Mulan é uma garota em idade de se casar, mas ela é um desastre em tudo o que garotas fazem na China Imperial. Quando o país entra em guerra contra os hunos, ela vai para o exército vestida de homem, para que seu pai, que é aleijado, não morra na guerra. A trilha sonora é ótima, tanto em português quanto no idioma original. E Mulan é uma das personagens femininas mais fortes que temos na Disney.

Monster


 
Baseado na história de Aileen Wuornos, que teve uma história infância de abusos e fugiu de casa aos treze anos. Ela trabalha como prostituta e conhece Selby, e as duas se atraem e vão morar juntas. Quando Aileen é estuprada por um cliente e o mata para se salvar, ela decide largar a prostituição para dar uma boa vida a Selby. Eventualmente ela volta às ruas, mas desta vez para se vingar de todos que abusam e maltratam.

Piaf - Um hino ao amor

Este é sobre a cantora francesa Edith Piaf, que foi abandonada pela mãe e criada pela avó, dona de um bordel. Aos três anos ela perde a visão, mas a recupera aos sete. Mais tarde ela passa a viver com o pai alcoólatra, e foge aos 15 anos para ir cantar nas ruas de Paris. Acaba descoberta e grava um disco, ficando famosa. O filme mostra tudo isso e como é viver na pele todo esse sofrimento, além de contar a história de algumas músicas famosas, como La Vie en Rose. Quem faz Edith é a Marion Cotillard, a nova diva francesa no cinema.

Menções honrosas a: Claire, de House of Cards, o documentário brasileiro Samira, Os Homens que Não Amavam as Mulheres e sua Lisbeth Salander que não deixa barato para quem faz maldade, e todas as maravilhosas (e poderosas) mulheres de Game of Thrones (um beijo, Daenerys!)

Parabéns a todas as mulheres e suas grandes histórias!



 Mais publicações